Movimento busca a retomada imediata do setor de eventos e feiras em SC

Na última semana, um dos diretores da Feistock, Jonathan Roger Linzmeyer, participou de uma reunião com o deputado estadual Sargento Lima. O tema foi a criação de um decreto para a retomada do setor de feiras em Santa Catarina. “O encontro foi bastante positivo, vamos contar com mais um encontro que será uma audiência pública na Assembleia Legislativa (Alesc), e na sequência, encaminhar para a governadora Daniela Reinehr”, contou.

A Feistock realizada em novembro de 2020, foi a única feira de grande porte no Brasil e está sendo referência e modelo para a retomada do setor no Estado. “Mostramos que, seguindo todos os protocolos de saúde e segurança, conseguimos realizar feiras e eventos.  A Feistock reuniu 69 expositores que registraram R$ 18,5 milhões”. Uma conversa com a secretária de Estado de Saúde, Carmen Zanotto, também já foi estreitada, defendendo a atuação dos eventos na pandemia. “Se, mesmo com todas as informações e argumentos, não contarmos com a reabertura dos eventos, o segmento, que é o mais atingido na pandemia, vai falir. Não temos mais condições de suportar os negócios por um período muito mais longo” destacou Linzmeyer.

O Movimento de Promotores e Organizadores de Feiras e Eventos de SC é integrado por mais de 30 empresas, que representam 1,7 mil expositores. Apenas as 18 feiras que aconteceriam em 2020, que foram transferidas para o segundo semestre deste ano, representam 2,3 mil expositores, 11,5 mil empregos indiretos e R$ 1,3 bilhão de expectativa de negócios. “Por trás de uma feira há uma cadeia de negócios, que também são afetados duramente: montadores, assistentes, serviços auxiliares, estacionamento, limpeza, segurança, restaurantes, hotéis, e outros”, lembrou.  

O Movimento defende que seguindo os protocolos desenvolvidos, o segmento tem condições de retomada, o formato do que se vê nos shoppings, supermercados e grandes varejistas.  A elaboração de uma escala prevê eventos com capacidade reduzida de 50% quando o grau da pandemia local for vermelho, 60% para a cor laranja, 80% para amarelo e 100% de ocupação quando a cor for azul.